Monday, January 30, 2006

Vertigo

Sem sono, sem inspiração, sem fome, sem sede, e ainda por cima, achando q sente algo!
Perdi! Perdi sentindos importantes ultimamente devido à uma coisa: ANSIEDADE!
É engraçado, mas os sentindos são muito importantes e quando me sinto sem eles, sinto vertigem, uma vertigem bem diferente do personagem que o escocês James Stewart fez no celebre filme do gordinho Hitchcock, Vertigo de 1958. Seria uma vertigem poderosa, não são apenas tonturas, mas sim sensações de desânimo, me faz olhar pra baixo, onde não se existe limite de interpretação, e sim o limite da fossa!
Usarei um termo q com certeza meu escritor favorito já citado no meu texto anterior usaria(nunca o vi usando esse termo, então tomarei a liberdade pra batizar o termo de Cabronowski!):
"Quem gosta de fossa é merda!"
Quando sinto essas vertigens, não sinto medo de alturas e sim sinto vontade de não sair dessa fossa , me sinto merda, me sinto sujo, a fossa por um lado é acolhedora, mas sem cuidados ou atenção te consome uma energia forte e vc acaba se acostumando com ela. É dificil não dar atenção à essa fossa, fossa me faz lembrar lodo, que me faz lembrar umidade, que me faz lembrar de esgoto, q me faz lembrar de água parada, q me faz lembrar de ficar parado, sem ir atrás dos sonhos e sempre procuramos alguém para colocar a culpa (infelizmente essa sociedade é uma grande merda q alimenta uma fossa suja sem sistema hidráulico-hahahahahahahahahahahahahaha!!!!!!!!!), o grande Franz Kafka fez isso no célebre Carta ao Pai e depois virou fossa em Metamorfose, a baratinha gosta da fossa!
É engraçado pensar q muitos acham Kafka pesado, o homem q se torna barata, mas lembro q uma vez estava com a minha sobrinha e ela estava doida por um conto da Dona Baratinha, até ela com seus 3 anos de idade já tem um uma sensibilidade Kafkaniana de ser!
Bom, vou deixar vcs leitores do meu ainda modesto blog (apesar de eu ser um fissurado por imagens em geral, prefiro não colocar figuras- na verdade eu tentei colocar e não consegui, então desencanei- e espero q vcs leiam e desfrutem das minhas idéias) curtirem esse texto pq cheguei em um ponto do mesmo, onde não sei mais o q escrever por não ter uma inspiração...bom é isso!
E não se esqueçam de q tolos todos somos e nos achamos reis para camuflar uma idéia de q é preciso amor proprio, essa epidemia e a falta de coragem das pessoas não se arriscarem é q faz com q o mundo apenas investigue as vidas alheias (punheteiros de plantão, vcs sabem quem são - eu mesmo ja fui um!) e se te perguntarem onde vc irá mais tarde diga sem medo:
- Vou ao banheiro!
Até!

4 Comments:

Anonymous Felipe said...

Senhor Myagi disse:
"O Karate esta dentro de vc Daniel Sam"

31 January, 2006 16:32  
Anonymous syl said...

nossa, jah postaram! tem leitores de plantão mesmo hein!
olha soh pedrito.....soh tenho a dizer o q me veio na cabeça agora....aquele lance da revista...q vc tanto disse no semestre passado...

...se pra este post vc tava sem inspiração...imagine uma crítica de filmes...bom..eh isso...eu nao me ligo mto em cinema brasileiro especificamente, mas a ideia de revista me fez pirar um pouco sabe...como t disse...eh FOTO, ROTEIRO, etc , etc, etc, + SURF + MTB, + sei lah o q ....enfim, este espaço eh SEU!!!!! nao vou ocupar tanto espaço hj! Obrigada por td, vc tem sido mto bacana comigo mesmo!!! gosto de vc! Beijos!

01 February, 2006 12:56  
Blogger alskander said...

com sua licença, mas eis que caí aqui por acaso e não pude deixar de deliciar-me com seu excelente vertigem. Essa vertigem de que fala, eu tbm sinto - podem ser distintas, mas os sintomas assim mesmo os vejo; falando da vertigem em mim, desse fundo sem fundo, vi um filme (What the bleep do we know?) com a seguinte passagem: "(...) Quando não olhamos é como uma onda, quando olhamos é como uma partícula. Quando não olhamos há uma onda de possibilidades, quando olhamos só existe partículas. Uma partícula que pensamos ser algo sólido, existe no que chamamos de superposição, espalhando uma onda de possíveis localizações. Todas ao mesmo tempo. E quando você olha, ela passa a estar em apenas uma das possíveis posições. A superposição implica que uma partícula pode estar em dois ou mais lugares ao mesmo tempo. É um conceito muito bizarro, um dos pilares da física quântica. O mundo tem várias formas de realidade em potencial até você escolher. Tem que escolher o que quer. Pode estar em muitos lugares ao mesmo tempo, experimentando várias possibilidades, até elas convergirem para apenas uma." E então comecei a me perguntar se a minha vertigem é quando, por falta de ser fisgado pelo olhar do outro, passo a deixar-me de ser partícula para desfigurar-me em onda. Einstein dizia que na velocidade da luz tempo-espaço fogem. Então é-me inevitável iluminar-me presente aonde pareço identificar-me. E se minha identificação, meu prazer, for o esgoto? Ao menos espero que a ansiedade em mim possa ser uma bifurcação que me faça lembrar-me de meu rosto sem que haja um esforço que meu corpo não aprende a tolerar.
abçs - als

03 February, 2006 14:59  
Anonymous Alice said...

Bom saber q vc não é a única pessoa do mundo q perde chances por culpa da ansiedade e q se desespera com a inércia por não saber como sair dela...

25 September, 2006 13:17  

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home