Monday, April 17, 2006

Boom, Boom, Boom!

Muitas vezes ouço as pessoas falando dos sons da natureza!
Fico sentindo um nó por dentro, um nó q me incomeoda muito, acho esse discurso muito hippongo pra minha cabeça!
Aí quando divulgo essa idéia sou preconceituoso, sou tachado de idiota e as pessoas se afastam...ai lembro de uma frase do grande senhor Brest (amigo eterno com sentimentos de lembrança...):
"- Esse barulho caótico da cidade grande me emociona, pra mim isso é uma enorme canção de ninar!"
Essa frase quando entendi passei a olhar a beleza da cidade grande (cidade essa q é feia, mas q depende de um olhar m ais apropriado!). Muitas vezes não olhamos o q esse caos, q se torna semiótico, tem a nos oferecer. A cada dia descubro mais esse caos e me vejo envolvido nele e procurando as pessoas e os detalhes (sons, arquiteturas, cheiros e etc) q me fazem envolver nele!
Digo essas coisas, pq na semana passada assisti vários filmes, como de praxe e me envolvi no caos humano, mas fiquei espantado com detalhes q ando me concentrando a cada dia mais:
O SOM!
Sim esse q muitas vezes é esquecido, esquecemos dele várias vezes, não prestamos a antenção devida nele, mas ele está constantemente no ar devido as ondas q somos atacados e não percebemos. Pude ver nesses dias o q os neo-hippies (uso esse termo pq acho q movimentos atuantes não existem mais, não consigo ver movimentos fortes hj em dia, mas percebo a acenssão dos excluídos a cada dia mais!) tanto dizem.
Assisti (em uma cópia pirata, pq não foi lançado nos cinemas brasileiros) o Last Days do Gus Van Sant, e fiquei genialmente espantado com o silêncio do filme. Pra quem lê essa merda de blog e não sabe do q o filme trata, são os últimos dias da vida do eterno Kurt Cobain, podemos ver as angústias do músico através de um silêncio q nos envolve dentro de uma casa escondida numa floresta bem fria!
Após essa experiência, fiz um filme no feriado, e com o Boom (microfone sensível ajustado em uma vara, q possibilita captar os detalhes e avoz dos atores de forma precisa) e o fone de ouvido, consegui identificar o som potente da natureza (o filme foi rodado em um vilarejo no interior) e fiquei espantado. Sei q esse assunto não é tão interessante quanto fazer críticas cômicas e atacar diversas situações, mas apenas quis dividir com vcs esse momento de silêncio para podermos ouvir os sons q estão no ar a todo momento.
Pensando bem, não vou escrever mais nada deixo todos vcs com o meu silêncio e quiando vcs terminarem de ler isso, fiquem com o mesmo (silêncio), por cerca de 5 minutos, sua vida pode mudar, ouvir é o melhor remédio!
Deixo um ohar em silêcio para todos...até(em silêncio)

7 Comments:

Anonymous renata said...

mon amour

ouvir ouvir ouvir

queria que vc tocasse pra mim

saudades

17 April, 2006 18:01  
Blogger A única mulher said...

no silêncio eu choco.sim.meu tom de vóz é gordo.som de veludo.dizem que ela, a vóz,tem presença. sim.ela chega antes de mim.não falo pra não atrapalhar o silêncio.Ler, em silêncio, é a melhor criação prum artista, vem imagens, vem sons,vem formas, vem cores. Escrever, tem sempre um som, as teclas, o espaço, o lápis, a borracha, o risco, tem, sempre tem. o silêncio? não tem. os faróis piscando fazem barulho, os mosquitos zanzando fazem barulho(infernal), barulho? som.fazem som. falar som soa melhor, lembra música, lembra cantos de pássaro. sim, pensamento hippie, pensamento de deitar na rede e ouvir, ouvir o vento bater, ouvir o cachorro latir, ouvir as formigas caminhando, ouvir, atenção. na cidade?sim, deitada com a cabeça no travesseiro procuro fugir.acordo cheia de barulhos.estranhos.
não gosto do som da cidade.gosto do barulho de longe.
sempre de longe.

o filme do silêncio na morte é assim. a morte é um infinito silêncio.uma falta.não há som que exprima aquele segundo de todas as cenas de morte nos filmes.todas?pra um cineasta generalizar no cinema é pecador. perdoe. Mas me encanta, a cópia de filmes e filmes quando morre. tem som.

o som do silêncio.

me encanta.

(um beijo na testa-(agora foi meu))
ps: a bosta do seu blog vai ser lida sempre pela única mulher. que anda triste,melancolica,silenciosa

17 April, 2006 19:44  
Blogger A única mulher said...

porque escrevi vóz?
ohhhh
voz, se me perdooa corrigir.

18 April, 2006 16:46  
Anonymous Sr. brest said...

Certo dia numa roda de supostos amigos, o assunto acaba e um reclama: que estranho esse silêncio, foi então que eu cheguei a seguinte conclusão: O Silêncio jamais Constrangeria verdadeiros amigos. me levantei e fui embora!
"SILENZIO!"

28 April, 2006 06:49  
Blogger A única mulher said...

Minha inspiração me pede inspiação. Oh vida, Oh céus. Oh. onde esse mundo vai parar.? sim, fala palavras, faltam rimas, faltam vírgulas. não falo, não faço, não escrevo. Apenas sinto...(saudades de você.)..certa angústia.

07 May, 2006 16:25  
Anonymous Sr. brest said...

Re -lendo seu post eu me recordei de um Filme do Win Wenders: O céu de Lisboa! E o personage, buscando gravar sons urbanos de uma Lisboa adormecida, eis que ele encontra o silêncio e a si mesmo! Lindo d+

11 May, 2006 08:29  
Blogger A única mulher said...

descobri que é pra você que escrevo.

12 May, 2006 13:32  

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home